Dignoestranho


“Couplicité”
novembro 28, 2012, 1:11 am
Filed under: Uncategorized

Eu não vou me importar se não carregares um buquê.

Vou relevar os dias que eu precisar e não puder segurar tua mão.

Eu me encarrego de arrumar as pilhas de livros que os anos vão formar.

Prometo não reclamar da poeira.

Vou te ajudar em cada mentira balbuciada pelo nosso amor…

Vou te sustentar quando elas desmoronarem.

Acho digno trocar o futebol de domingo a tarde dos mais normais por um bom filme em preto e branco…

Ou pelo sexo.

E a cada momento frágil que passarmos nos provaremos mais fortes.

Cada olhar de “como eu queria te beijar” que daremos, será para mostrar ao mundo que somos mais.

 Houve um tempo na nossa história que as coisas ficaram sem cor, não eram filmes antigos.

Diferente da aquarela que tenho vivido.

Macio… Quente… Firme… Cativante…

Me perco quando te toco.

Arrepio, libido, amor…

Quando me tocas me sinto único.

Não me sinto na necessidade de ser mais nada.

Me tornas homem, me fortaleces e me deixas com ar de iludido.

És uma necessidade que tomou conta dos meus dias, dos meus sorrisos…

Não tenho mais medo do que meu coração insistiu em estampa-lo.

 Não faço discursos.

Não faço promessas.

Aprendi a viver de cumplicidade.

“Couplicité”

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: